Blog Outcenter

10 Mitos da Tecnologia

| Comente
10 Mitos da Tecnologia

Você pode estragar o seu iPhone se usar um carregador de iPad? Deixar o celular carregando durante muito tempo pode ser prejudicial ao aparelho? Usar notebook no colo pode deixar um homem estéril?

O fantástico mundo da tecnologia está cercado de dúvidas e com tanta informação rolando por aí, às vezes fica difícil saber o que é verdade. Nem sempre é fácil refutar alguns mitos, uma vez que muitos deles são baseados em fatos perfeitamente cabíveis, ou então porque foram perpetuados por estudos mal interpretados, ou talvez por serem baseados em tecnologias ultrapassadas.

Seja qual for a sua origem, nós separamos alguns dos mitos mais comuns relacionados à tecnologia de consumo e desmascaramos grandes equívocos. Confira!

 

Mito 1: “Mac não pega vírus”

Quem nunca ouviu um usuário da Apple dizer que seu computador era “à prova de malwares”? Na verdade, a própria empresa da Maçã costumava se gabar dizendo que seus Macs estavam a salvo dos vírus de PCs. Porém, a empresa teve que mudar sua declaração após milhares de computadores com Mac OS X terem sido afetados por um trojan.

No início de 2012, pelo menos 600 mil dispositivos Mac foram infectados pelo Flashback, que aparecia para os usuários como um plug-in do Adobe Flash e roubava nomes de usuários e senhas.

Na época, a Apple chegou a corrigir as afirmações de segurança disponíveis em seu site, onde dizia que seu computador “não pega vírus de PC” e que o usuário poderia “se proteger sem fazer nada”. Após os ataques, a mensagem mudou para “ele foi construído para ser seguro”.

 

Mito 2: “Navegar em modo privado mantém você completamente anônimo”

Muitos usuários têm a ilusão de que quando utilizam o recurso de navegação privada/anônima, disponível nos principais browsers, ficam completamente invisíveis na web. Isso definitivamente não é verdade.

O uso dessa ferramenta significa apenas que o navegador não vai gravar o seu histórico de navegação, armazenar cookies, ou entrar automaticamente em suas contas gravadas previamente.

É importante ter em mente que sua identidade não ficará no anonimato quando usar a chamada “navegação privada”, portanto, não saia por aí visitando sites que não deveria, afinal, eles podem manter um registro da sua visita mesmo com o recurso ativado. Além disso, as janelas privadas também não protegem o usuário de sites maliciosos que tentam roubar suas informações.

Basicamente, um dos principais motivos para utilizar este recurso é poder acessar suas contas em locais públicos ou na casa de um amigo, por exemplo, sem maiores preocupações.

Uma opção para quem quer ganhar mais tempo antes de ser identificado na web é utilizar o Tor Project, que triplica a encriptação do seu tráfego.

 

Mito 3: “Carregar o celular por muito tempo estraga a bateria”

Muitas pessoas deixam o celular carregando durante a noite e isso faz com que ele fique conectado à tomada mesmo depois de completar 100% do carregamento. Por esse motivo, é comum ouvirmos dizer que esse hábito pode prejudicar a autonomia da bateria do aparelho, mas isso não é verdade.

Smartphones modernos funcionam com baterias de íons de lítio, que são inteligentes o suficiente para interromper o recebimento de energia quando ela estiver recarregada. Trata-se de uma espécie de circuito de proteção, que evita a sobrecarga e o aquecimento excessivo que é prejudicial ao dispositivo.

Lembrando que é natural que as baterias percam a sua capacidade ao longo do tempo, afinal elas não podem manter-se sempre como novas.

 

Mito 4: “Mais megapixels significa maior qualidade de imagem”

É comum que as pessoas escolham uma câmera ou um smartphone baseado apenas na quantidade de megapixels que ela possui. Mas será que mais megapixels realmente significa maior qualidade de imagem? A resposta é não. Nem sempre uma câmera de 12 MP é melhor do que uma de 8MP.

Na verdade, a qualidade de uma imagem é determinada pela quantidade de luz que o sensor da câmera é capaz de absorver. Basicamente, é o sensor que vai definir a qualidade da sua imagem final. Pode-se dizer que os sensores em câmeras digitais funcionam como filmes em câmeras analógicas.

Normalmente, sensores maiores possuem pixels maiores e quanto maior for o pixel, mais luz ele conseguirá absorver. Sendo assim, o que realmente importa é o tamanho do megapixel e não necessariamente simplesmente a quantidade.

Então por que os fabricantes continuam fazendo câmeras com cada vez mais megapixels? A resposta é simples: marketing. Números que aumentam progressivamente ajudam a mostrar que o novo modelo do produto passou por uma grande atualização.

Portanto, antes de comprar uma câmera apenas pela grande quantidade de megapixels que ela oferece, lembre-se sempre de analisar sua lente, a qualidade do sensor de captação de imagem, a variação do ISO, entre outros aspectos.

Mito 5: “Não carregue o seu celular até que a bateria acabe”

Baterias de equipamentos eletrônicos sempre estão sempre cercadas de dúvidas e mitos a respeito do seu uso. Dizer que você deve esperar até que seu smartphone descarregue completamente para dar uma nova carga é um desses mitos.

A maioria dos telefones da atualidade possui baterias de íons de lítio, que um dos principais diferenciais é a ausência do chamado efeito memória, ou seja, ela “não vicia”. Por esse motivo, não é preciso esperar que ela descarregue completamente até colocá-la novamente na tomada.

As baterias possuem um número limitado de ciclos de carga até que percam sua capacidade original. Um ciclo total de carga consiste em usar e recarregar 100% da capacidade de carga de uma bateria. O motivo que leva a bateria do seu telefone a mudar seu comportamento com o passar do tempo é o fato de que o limite de ciclos está se esgotando e não que você carregou o dispositivo enquanto ele ainda tinha 40% de carga, por exemplo.

Mito 6: “Alta resolução da tela é muito importante em um smartphone”

Recentemente, a mesma linha de pensamento em relação à quantidade de megapixels das câmeras começou a se manifestar sobre resoluções de displays: será mesmo que quanto maior, melhor?

É comum que as pessoas pensem que o aumento na resolução das telas dos smartphones ajude na hora de assistir filmes de alta definição, certo? Não necessariamente. O Gizmodo já explicou que para colher os benefícios de um vídeo com 1080p, é preciso estar sentado a uma distância confortável de um monitor de, no mínimo, 40 polegadas.

Para usufruir dos mesmos benefícios da alta definição em um smartphone, é preciso segurar o dispositivo a cerca de 6 a 8 centímetros de distância do seu rosto. Alguém costuma ficar com o telefone tão colado no rosto para assistir algo?

Outro fato citado por especialistas é que o olho humano não consegue discernir muitos detalhes em um display com mais de 300 pixels por polegada.

Mas, se o olho humano não consegue detectar nada que passe de 300 pontos por polegada, qual é a vantagem?

“Se fosse verdade que o olho humano só pode discernir as diferenças de qualidade de exibição até 300ppi, então você não seria capaz de perceber essas diferenças de clareza e nitidez entre as imagens apresentadas [pela LG]”, alegou a empresa na época do lançamento do smartphone.

Na ocasião, a LG comparou a densidade de pixels com os formatos de papel, dizendo que a densidade utilizada em jornais impressos é o suficiente para que as pessoas simplesmente leiam o que está escrito, mas ainda assim notam os pixels de uma distância razoável – assim como acontece com os demais smartphones do mercado, de acordo com a companhia.

Mito 7: “Desligar ou não o computador diariamente?”

Não sabemos ao certo de onde surgiu essa ideia de que desligar o computador todas as noites é prejudicial, mas, na verdade, isso não passa de um mito. A menos que você tenha o péssimo hábito de desligá-lo incorretamente (arrancando o cabo de alimentação, por exemplo), não há com o que se preocupar.

É claro que existe o lado prático de não desligá-lo completamente e ter que esperar a inicialização completa no dia seguinte. Mas, como o Lifehacker aponta, desligar o computador sempre que finalizar o uso oferece algumas vantagens. São elas:

  • Economizar energia: Desligar sua máquina quando não estiver em uso vai evitar o consumo excessivo e desnecessário de energia, o que consequentemente ajudará a poupar alguns trocados no final do mês.
  • Menos problemas temporários de sistema: Quem tem o hábito de sempre deixar o computador ligado já está familiarizado com pequenos problemas que surgem ao longo dos dias. Eles são pequenos incômodos e geralmente são resolvidos com uma reinicialização. Porém, se você desligá-lo todos os dias, dará sempre à sua máquina um novo começo, evitando pequenos problemas de sistema.
  • Uma máquina mais duradoura: Quanto menos o sistema do seu computador falhar, menos stress os componentes irão sofrer e isso contribui para uma vida útil mais longa da máquina.

 

Mito 8: “Celulares causam câncer”

Muitas pessoas ainda acreditam que usar o celular durante longos períodos pode causar determinados tipos de câncer. Fato é que muitos estudos científicos têm insinuado ao longo dos anos essa assustadora ligação entre telefones móveis e a temível doença, mas nenhum deles conseguiu estabelecer uma real correlação de causa e efeito.

Mas onde há fumaça há fogo, certo? Neste caso, o problema é que sequer existe fumaça. Desde 1991, o tempo gasto com ligações em celulares aumentou seis vezes, mas o número de casos de câncer no cérebro, por exemplo, caiu quase pela metade.

Um estudo sobre o assunto realizado ao longo de 11 anos por um instituto britânico foi divulgado recentemente. O chamado “Mobile Telecommunications and Health Report” (MTHR) não encontrou provas de que os telefones celulares sejam responsáveis por quaisquer efeitos adversos na nossa saúde.

“Quando o programa MTHR foi criado, havia muita incerteza científica sobre os riscos à saúde relacionados à tecnologia e aos celulares”, disse o professor de saúde ocupacional e ambiental da Universidade de Southampton, David Coggon, ao International Business Time. “Este programa independente agora está completo e apesar da exaustiva pesquisa, não encontramos nenhuma evidência de riscos para a saúde proveniente das ondas de rádio produzidas por telefones celulares”, completou.

Mito 9: “Uso de notebook no colo pode deixar homem estéril”

Em meados de 2011, as conclusões de um estudo realizado por pesquisadores argentinos e divulgado na Fertility Sterilty causaram uma verdadeira confusão entre os homens. Isso porque o estudo dizia que “manter um notebook conectado a uma rede Wi-Fi perto dos testículos pode resultar na diminuição da fertilidade masculina”.

A notícia foi amplamente divulgada em diversos veículos de comunicação, porém os próprios pesquisadores disseram na conclusão do estudo que os resultados são apenas “especulações” e que a pesquisa não visava provar nada, já que não é comum que homens passem mais de quatro horas consecutivas com um laptop em cima dos seus testículos. Os parâmetros foram usados apenas em condição de teste.

Conforme destacou a BBC News, a Agência de Proteção à Saúde do Reino Unido tem acompanhado de perto a segurança de redes Wi-Fi. Eles dizem que as pessoas que utilizam conexões sem fio, ou que ficam muito próximas a roteadores Wi-Fi, estão sim expostas aos sinais de rádio que eles emitem – e parte da energia transmitida nesses sinais é absorvida pelos nossos corpos. Porém, isso não é motivo para preocupação, já que os sinais possuem uma potência muito baixa.

“O estudo foi muito bem conduzido, mas devemos ser cautelosos sobre como isso pode intervir na fertilidade de homens que usam regularmente laptops com Wi-Fi no colo”, disse o Dr. Allan Pacey, professor de andrologia da Universidade de Sheffield. “Nós precisamos de grandes estudos epidemiológicos para determinar isso”.

Porém, ele não incentiva que os homens passem muitas horas com o computador no colo. O professor alerta para outro estudo, que mostra que o aquecimento excessivo do aparelho pode causar efeitos indesejados. “Há um relato de caso de um homem que queimou seu pênis depois de usar um laptop apoiado no colo por muito tempo”. Além disso, a exposição à alta temperatura durante um longo período de tempo também pode afetar os espermatozoides.

 

Mito 10: “Mais barras significa melhor sinal de telefonia e internet móvel”

No topo da tela do seu telefone celular, seja ele um smartphone ou não, você já deve ter reparado o indicador da rede de telefonia e internet móvel. Muitas pessoas pensam que, quanto mais cheio aquele medidor, melhor será o sinal para realizar e receber chamadas ou acessar a internet pelo 3G/4G — isso não é verdade.

Uma barra cheia indica apenas que o sinal é forte, que você está próximo de uma torre de transmissão, por exemplo. O indicador não mede a qualidade deste sinal e ela pode ser inferior se muitas pessoas estiverem na mesma região usando o mesmo serviço. Em suma, uma barra cheia significa um sinal forte, não necessariamente um sinal de qualidade.

Você sabe de algum outro mito que não falamos aqui? Nos conte no campo abaixo 🙂


Fonte: Canal Tech

Entre em contato e tire suas dúvidas. Se preferir, ligamos para você! Ligue para mim

0800 283 3729 - Ligação Gratuita
4020 0865 - Ligação Tarifada (Custo de Ligação Local)

Comercial

Segunda a Sexta-feira, das 8h às 21h.
Sábado, das 9h às 14h.


Assuntos Financeiros, Negociação e Cancelamento

Segunda a Sexta-feira, das 8h às 18h.


Status de Pedido

Segunda a Sexta-feira, das 8h às 18h.
Sábado, das 8h às 21h.


Suporte Técnico

Atendimento 24h.

Atendimento Digital

Comercial

Segunda a Sexta-feira, das 8h às 21h.
Sábado, das 9h às 14h.


Outros Assuntos- Ass. Financeiros, Negociação e Status do Pedido

Segunda a Sexta-feira, das 8h às 21h.
Sábado, das 8h às 12h.


Suporte Técnico

Segunda à Sexta-feira, das 8h às 22h.
Sábado, das 8h30 às 18h.

Example Dialog Text